Separar o lixo corretamente é fundamental para que os produtos recicláveis sejam reaproveitáveis e aqueles que podem fazer mal para o meio ambiente tenham o destino certo. O curitibano aprendeu faz tempo a separar o lixo reciclável do orgânico no dia-a-dia, afinal o sistema está em vigor na cidade desde 1989. Mas se ainda há dúvidas sobre quais resíduos são recolhidos pelo Lixo que não é Lixo, pior ainda acontece com outros produtos, como pilhas, lâmpadas, tintas, remédios vencidos, toners e produtos de informática. Cada produto tem seu destino certo.

A Prefeitura de Curitiba tem um calendário de coleta do lixo tóxico. Pilhas, baterias, toners, embalagens de inseticida, tintas, colas, solventes, remédios vencidos, óleo de cozinha e lâmpadas fluorescentes, em pequenas quantidades, devem ser separados pela população e entregues aos caminhões de coleta que ficam estacionados em terminais de ônibus nas datas marcadas. O material deve ser armazenado em casa e separado do restante do lixo para evitar riscos à saúde e ao meio ambiente. A coleta nos terminais é realizada de segunda-feira a sábado, das 7h às 15h. O veículo é identificado e fica, cada dia da semana, estacionado em um terminal da cidade. O calendário pode ser consultado no site da Prefeitura ou pelo telefone 156.

O óleo usado de cozinha é um dos materiais coletados pelo serviço especial. Depois de coletado, ele é encaminhado para reciclagem e volta à cadeia produtiva em forma de material de limpeza, lubrificante de máquinas e outros derivados. O óleo deve ser armazenado em um recipiente transparente, como uma garrafa Pet, para ser entregue à coleta. A Secretaria do Meio Ambiente recolhe o óleo de cozinha em 100 pontos do programa que troca lixo reciclável por alimentos, o Câmbio Verde, além da coleta nos terminais de ônibus.

CUIDADOS ESPECIAIS

Materiais cortantes
Quando tiver que jogar fora vidro quebrado o mais adequado é colocar tudo em uma embalagem de papelão devidamente identificado ou uma garrafa pet lacrada e com alertas escritos como cuidado: vidro quebrado. O mesmo vale para agulhas e latas abertas, com o aviso de perigo, material cortante.

Objetos maiores
Objetos maiores feitos com materiais recicláveis, como a bicicletas, o cidadão deve informar através do 156 que orienta a pessoa a guardar o objeto para uma determinada data em que a prefeitura envia um caminhão justamente para isso.

Caçambas
Não é permitido jogar lixo comum em caçambas. Elas são destinadas às construtoras e quando acontecerem reformas que precisem se um espaço para recolher o chamado lixo de construção frio.

Lâmpadas
Quando a lâmpada queima, o ideal é enrolar a lâmpada em um jornal, coloque em um saco plástico, e colocar em uma caixa de sapatos. Quando a lâmpada quebra, é preciso deixá-la 15 minutos, deixando o local ventilado, varra com cuidado os resíduos com uma pá, para dentro de uma caixa, não use aspirados de pó, pois ele pode armazenar produtos nocivos, Depois desses cuidados, leve até um local.

VÁRIAS ALTERNATIVAS PARA ELETRÔNICOS

Para o descarte de equipamentos eletrônicos há várias alternativas. Eles podem sim ser recolhidos pelo caminhão da coleta seletiva e são levados para uma central de reciclagem, em Campo Magro.
Se a peça tem algum valor histórico, há a possibilidade de doar para o Museu Tecnológico da UTFPR (Telefone: 3310-4545). Ainda existem algumas empresas compram o lixo eletrônico.

É o caso da Reciclatech (Telefone: 3606-9623. E-mail: reciclatech@reciclatech.com.br), que presta assessoria integral no tratamento de resíduos tecnológicos, eletro-eletrônicos, pilhas, baterias, minimizando perdas e impactos ambientais. Entre os produtos que a empresa coleta estão computadores, Impressoras, Monitores, Teclados, No-break e Scanner, centrais, Aparelhos, Celulares, Baterias e Fax, TVs, DVDs, Vídeo Cassete, Aparelhos de Som e lâmpadas fluorescentes. A empresa Hamaya do Brasil (Telefone:3060-3500), em Fazenda Rio Grande, não busca o material, mas compra por quilo.

Há muitas organizações que precisam de materiais de informática e aceitam doações, desde que eles estejam funcionando. O projeto ETM adapta computadores para pessoas que têm graves dificuldades motoras. O telefone é (41) 9946-2966 e o e-mail: exandre henzen@hotmail.com

O Instituto Brasileiro de Ecotecnologia é uma organização sem fins lucrativosrecolhe lixo eletrônico domiciliar. OE-mail: falecom@biet.org.br.
O telefone: (41) 9932-0168.
E o site é www.biet.org.br.